terça-feira, 31 de maio de 2011

Calcular a corrente (A) que um cabo aguenta (W) conforme a distância

Estava refazendo a instalação elétrica de casa e tive algumas dúvidas,  o chuveiro é o maior vilão de uma casa, não só pelo seu consumo exagerado de energia, mas também pela bitola do cabo que ele utiliza,  muitas casas utiliza cabos de forma incorreta, por isso ocorre cheiro de queimado e alguns casos ate derretimento do fio, o que muita gente não sabe é que, se você utilizar um chuveiro em 220, você divide a carga entre os dois fios, ou seja,  um chuveiro (127v) utilizado na temperatura quente, consome em média 5400w e gera uma amperagem de quase 50A, se você utilizar o chuveiro em 220,  essa amperagem vai ser dividida, 25A para cada fio,  se seu chuveiro é 110v, você deve notar que toda vez que liga ele, sente que a luzes da casa fica mais fraca, isso é porque o consumo é muito grande em cima de um mesmo fio, se você utiliza 220, pode notar que isso não ocorre, ou no pior dos casos, a queda é leve,  mas atente a bitola do fio que chega ate o chuveiro e a distância,  quanto maior a distância,  maior tem que ser bitola do fio,  pesquisando na internet achei uma planilha muito interessante,  o link é:  http://varginha.net/download/geral/condutores.xls

Ah, sei que isso não tem muito a ver com tecnologia, mas como sou formado em eletricidade, gosto também deste assunto,  mas pensando bem, tecnologia não vive sem eletricidade :)

segunda-feira, 30 de maio de 2011

rsync - Ferramenta LINDA (Como diz um velho amigo @tgiovanella)

Introdução

Antes de iniciarmos o artigo, vamos imaginar um cenário onde você programou um mega portal que possui centenas de arquivos que somados ocupam cerca de 300 MB em disco rígido. Existem duas cópias do portal, uma no seu desktop de trabalho e outra no servidor Linux em produção.

Certo dia você resolve fazer uma baita reforma no site e passa uma porção enorme de tempo alterando seus scripts PHP, HTML, folhas de estilo, imagens e tudo mais que se possa imaginar e agora precisa atualizar a nova versão offline com a versão que existe no servidor em produção.

O grande problema é que você passou horas programando e já não recorda quais arquivos foram alterados. E agora, que solução te vem à cabeça? Enviar os 300 MB por FTP para o servidor? Ou passar outro bocado de horas selecionando os arquivos que você "lembra" que alterou e fazendo seu upload um a um? Que nada, isso é um mártir exclusivo para usuários de Windows. Quem programa em desktops Linux e claro, hospeda seus projetos em servidores Linux pode contar com a ferramenta dos sonhos, o rsync.

O que é rsync

Rsync, como o nome sugere, é um programa que sincroniza remotamente os dados entre duas máquinas. Por ser baseado no antigo rcp (remote copy), o software herdou as propriedades de criptografia do protocolo SSH, o que torna sua transmissão de dados mais segura que o FTP.

Além das propriedades de segurança, o rsync utiliza o protocolo remote-update, o que aumenta assustadoramente sua velocidade e diminui a quantidade de dados transferidos, pois são trocados entre os servidores somente as diferenças entre dois grupos de arquivos.

Voltando ao nosso estudo de caso introdutório, se alteramos uma dúzia de arquivos numa porção de centenas, ao executar um rsync do seu desktop para o servidor, somente os arquivos alterados serão enviados por upload.

Resumindo, existem pelo menos quatro situações onde o rsync pode te ajudar:
copiando (ou sincronizando) arquivos entre dois diretórios locais;
copiando (ou sincronizando) arquivos de sua máquina local para um servidor remoto;
copiando (ou sincronizando) arquivos de um servidor remoto para sua máquina local;

Formas de uso

Para cada situação anteriormente citada, o rsync apresenta uma sintaxe levemente diferente. Vamos dar uma conferida em cada uma delas.

Sincronizando diretórios locais

Uso: rsync [opções] origem destino

Você tem um diretório recheado com arquivos importantes e deseja manter uma cópia fiel do mesmo em outra localidade. Para copiar /home/usuario/artigos para para /var/backups/artigos, executamos:

$ rsync -Cravzp /home/usuario/artigos/ /var/backups/artigos/

Nota: supondo que /var/backups/artigos está criado e tenho permissões de escrita no mesmo.

Costumo utilizar a seqüencia de opções Cravzp por considerar que nelas estão inclusas todas as funcionalidades que necessito. Você pode optar em confiar cegamente em minhas palavras ou dar uma breve conferida na página de manual do software (man rsync) para descobrir o significado de cada opção.

Sincronizando arquivos locais para um servidor remoto

Um pré-requisito para enviar seus arquivos para o servidor remoto é possuir uma conta de usuário no sistema. Sendo assim, sua forma de uso é:

rsync [opções] origem usuario@host:destino

Supondo que o diretório /var/backups/artigos está localizado no servidor remoto cujo endereço IP é 10.0.0.5 e minha conta de usuário possui login "usuario", executamos:

$ rsync -Cravzp /home/usuario/artigos/ usuario@10.0.0.5:/var/backups/artigos/

Surgirá um prompt de senha, digite-a e pronto, os arquivos serão copiados.

Sincronizando arquivos do servidor para sua máquina local

Esta situação também requer um login para autenticação no servidor, a menos que o mesmo esteja configurado para aceitar conexões de usuários guest, fato comum em servidores mirrors, porém este assunto está fora do escopo do artigo. Se você entendeu como funciona o comando anterior, basta inverter a ordem dos parâmetros:

$ rsync -Cravzp usuario@10.0.0.5:/var/backups/artigos/ /home/usuario/artigos/


Fonte: http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Transferindo-arquivos-com-o-rsync?pagina=1

domingo, 22 de maio de 2011

Como enviar vários arquivos por ftp sem pedir confirmação

Estava preparando para copiar vários arquivos de um servidor para outro via ftp, porém a cada arquivo que enviava ele pedia confirmação, e como eram muitos arquivos, tive que procurar uma alternativa, e como vou esquecer, vou publicar aqui para lembrar e para servir para outras pessoas...

ftp ftp.dominio.com.br
digite seu login e senha
> prompt (comandinho bonito)
> mput (envio) ou mget (download) *

Feito isso é só aguardar :)